Falando de livros: Aprendizagem de resultados

Por que as pessoas nas empresas têm tanta dificuldade em aprender? O aprendizado empresarial é o mesmo que nas escolas? Quais as diferenças entre aprendizado de adultos e de crianças? Esses temas são tratados por Malcolm S. Knowles, Elwood F. Holton III e Richard A.Swanson no livro “Aprendizagem de resultados: uma abordagem prática para aumentar a efetividade da educação corporativa”.

Os autores registram que, nas empresas, existe o costume de se focar muito no tema a ser abordado e pouco na forma de construção do conhecimento. Isto se deve, em parte, ao modelo tradicional de ensino, que é unidirecional, colocando o participante em uma posição de passividade. Neste, o  instrutor é o detentor do conhecimento e tem o papel de transmiti-lo. O participante, por sua vez, deve memorizar e estruturar a informação em seu cérebro para acessá-la quando necessário. No sistema tradicional, as avaliações, em vez de comprovarem a aplicação prática do conhecimento, testam se o aluno absorveu conceitos. A aplicação na vida real não é objeto de preocupação na maioria dos casos.

O livro responde em parte a essa provocação a partir da premissa de Malcolm Knowles de que “não podemos ensinar a um adulto, mas sim, ajudá-lo a aprender”. A transmissão da informação deixa de ser o fim do processo e passa a ser o meio. Os autores fazem uma provocação: imagine um grupo de executivos que precisa desenvolver determinada habilidade. Não seria recomendável realizar um treinamento tradicional, em sala de aula com slides ditados por um especialista, mas sim estimular os participantes a debater os conceitos e descobrir novas possibilidades adequadas à realidade de cada um, além de considerar outros ambientes de aprendizagem. Esta proposição respalda-se na Andragogia, um ramo da ciência da educação que trata da aprendizagem de adultos.

No início da década de 1970, Malcolm Knowles apresentou a andragogia: adultos e crianças aprendem de maneiras diferentes. Independentemente de como seja chamada, “a andragogia é uma tentativa séria de dar o enfoque ao aprendiz”. A andragogia traz melhores resultados práticos quando é adaptada de acordo com as particularidades dos aprendizes e da situação de aprendizagem.

Educação é uma atividade realizada ou iniciada por um ou mais agentes que tem por objetivo efetuar mudanças no conhecimento, habilidade e atitudes de indivíduos, grupos ou comunidades. O termo aprendizagem, por outro lado, destaca a pessoa na qual a mudança acontece. Aprendizagem é o ato ou processo pelo qual a mudança comportamental, conhecimento, habilidades e atitudes são adquiridas.

Sabemos mais sobre como os animais aprendem do que sobre como as crianças aprendem; infinitamente mais sobre como as crianças aprendem do que sobre como os adultos aprendem. A andragogia contrasta com a pedagogia enquanto conjunto de conceitos, princípios e ferramentas de ensino-aprendizagem. Pedagogia significa literalmente “a arte e ciência de ensinar crianças” – derivada da palavra grega paid, que significa “criança”, e agogus, “líder de”.

A pedagogia deriva da experiência de escolas na Europa, no século VII, que estavam organizadas para preparar jovens meninos para o sacerdócio. Como a principal missão desses professores era doutrinar os alunos sobre crenças, fé e rituais da igreja, eles desenvolveram um conjunto de pressupostos sobre aprendizagem que consideravam, em essência a “dependência do aprendiz” em relação ao educador. O modelo pedagógico atribui ao professor total responsabilidade por tomar as decisões sobre o que será aprendido, como isso será aprendido, quando e se foi aprendido.

A andragogia, contrariamente, ressalta as qualidades do adulto enquanto membro de um processo de aprendizagem. O recurso de maior valor na educação de adultos é a experiência do aprendiz. Para a andragogia, em uma turma de adultos, a experiência do aluno conta tanto quanto o conhecimento do professor. Ambos são intercambiáveis.

Assim, estas diferenças devem ser consideradas quando se precisar desenvolver educação de adultos, hoje uma necessidade cada vez maior para o ambiente empresarial.

Este e outros livros estão sendo apresentados, de forma didática e dinâmica, através do programa Leituras Conectivas – informações através do site www.leiturasconectivas.com.br.

2 comentários sobre “Falando de livros: Aprendizagem de resultados

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s