Quem tenta não faz!

Você já parou para pensar na diferença entre pensadores e executores? Já se deparou, em sua vida pessoal ou profissional, com momentos em que você foi altamente produtivo? Nestes momentos, você estava “tentando fazer as coisas”, ou, de fato, “fazendo acontecer”?

Tenho tido oportunidade de discutir o uso do verbo TENTAR e, confesso, vou fazendo algumas boas descobertas, ajudado por alguns inteligentes colaboradores.

Esta semana estava em viagem, retornando à cidade onde resido, e, no caminho, contatei uma pessoa sobre a possibilidade de me pegar no aeroporto. A resposta que tive foi: “talvez seja possível. Vou tentar”.

Ora, a primeira parte da resposta, por si só, já me deixou inseguro com relação ao sucesso da empreitada. A segunda parte – vou tentar – me fez sentir calafrios. Já comecei a pensar numa outra alternativa.

Decidi postar uma mensagem no twitter, brincando com o episódio: “Se tentar não consegue. O verbo tentar diminui a força!”

Eis que recebi, de um amigo, uma grande contribuição: “Pense que você está em um avião quando o piloto anuncia: Senhores passageiros, vamos tentar pousar!”

E eu fiquei a pensar sobre quantas vezes não estamos querendo ou podendo fazer algo e, em vez de um sincero e verdadeiro NÃO, usamos o verbo TENTAR. Não me diga que você nunca fez isto!

Reflita: como uma pessoa que costuma executar o que lhe é solicitado costuma responder às indagações? Vou FAZER! Ou vou TENTAR?

O problema na está, necessariamente, no verbo, mas na atitude mental de quem o está utilizando. Senão, vejamos:

  • Tentar está para iniciar; Executar está para terminar
  • Tentar está para perder, assim como executar está para vencer
  • Executar está para realizar, como tentar está para protelar
  • Tentar tem a ver com iniciativa, e Executar tem a ver com acabativa

Até aqui, refletimos sobre a capacidade de fazer, executar, no nível pessoal. Mas isto se aplica também em termos organizacionais. Como afirmou Ram Charan, em seu famoso livro EXECUÇÃO, “atualmente, a diferença entre uma empresa e sua concorrente é cada vez mais a habilidade de executar”.

Com tantos desafios no mundo empresarial, e, sobretudo, a necessidade de inovação, as organizações são, e serão, mais competitivas na medida em que tiverem capacidade de absorver novos conhecimentos e aplicá-los em produtos ou serviços, processos, e metodologias de trabalho e gestão.

Não há mais tempo, na atualidade, para ficar tentando as coisas. Temos que, efetivamente, fazer acontecer.

Como cantou Geraldo, “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”

Agradeço a Carlos Von Sohsten – o amigo, pela contribuição citada.

Para receber um ebook gratuito sobre este tema, recomendo que você leia o artigo “Como alcançar sucesso de um jeito simples” e baixe seu e-book.

5 comentários sobre “Quem tenta não faz!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s