A prática de Planejamento Estratégico no RN

Sua empresa faz Planejamento Estratégico? Qual a importância do Planejamento Estratégico? Como as empresas do Rio Grande do Norte estão em relação ao conhecimento e prática de Planejamento Estratégico?

Um por todos. Todos por um!

Estas questões motivaram a pesquisa conduzida por Susie Macedo, enquanto aluna do Mestrado Profissional em Administração da Universidade Potiguar (UnP).

A pesquisa foi conduzida junto às empresas de grande porte (500 ou mais empregados) do Rio Grande do Norte, segundo Relação Anual de Informação Social (RAIS, 2008). De um total de 24 empresas, que empregam 40.237 pessoas, representando 36,7% da mão de obra empregada no Estado, 15 participaram da pesquisa. Foram feitas entrevistas com membros da Direção e/ou Gerência das respectivas empresas.

Foi construído um modelo de referencia para condução da pesquisa, baseado em literatura especializada e modelos de gestão reconhecidos no meio empresarial.

A seguir apresentamos alguns do resultados principais:

 1.Em relação à Identidade e Estrutura Organizacional:

  • 100% das empresas participantes do estudo possuem declaração formalizada de sua missão;
  • Das empresas que possuem missão formalizada, 93% contam com uma estrutura organizacional clara e definida;
  • 87% definem, de forma clara, sua visão de futuro, na qual descrevem o direcionamento de suas atividades futuras;
  • 73% das empresas também estabelecem políticas fundamentadas em crenças e valores, através da construção de declaração formal.

2.Sobre a importância de fazer Panejamento Estratégico:

  • 47% que consideram extremamente necessário;
  • 53% dos respondentes consideram o planejamento estratégico necessário.

 3.Quanto à prática de realizar o Planejamento Estratégico:

  • 80% afirmam que este é elaborado formalmente;
  • 20% não elaboram o documento formalmente.

4.Para a elaboração do Planejamento Estratégico:

  • 47% das empresas contam com facilitador e equipes internas;
  • 29% utilizam facilitador externo junto às suas equipes internas;
  • 13% das empresas não responderam à questão.

5.Com relação à dedicação para elaborar o Planejamento Estratégico:

  • 60% das empresas consultadas dedicam, em média, 2 meses por ano para a elaboração do Planejamento Estratégico;
  • 40% não responderam

6.Sobre a frequência de revisão do Planejamento Estratégico na empresa:

  • 53% das empresas têm a prática de revisão anual;
  • 27% revisam com entre 1 e 5 anos;
  • 7% afirmam nunca ter sido revisado seu planejamento estratégico;
  • 13% dos respondentes que não responderam.

7. Com relação ao desdobramento de estratégias:

  •  80% têm sistemática estabelecida para efetuar desdobramento de estratégias;
  • 20% das empresas não adotam essa sistemática.

 8.Quanto à sistemática para implementação de planos de ação para novos investimentos:

  •  41% consideram ser adequada;
  • 33% consideram pouco adequada;
  • 13% avaliam com inadequada;
  • 13% não responderam à questão.

9.     Sobre a participação dos demais níveis em decisões estratégicas:

  • 47% dos respondentes afirmam que apenas as gerências participam do processo;
  • 33% reconhecem que há participação das partes envolvidas;
  • 20% informam que não há sistemática de participação no processo.

10.  O processo de comunicação das decisões, através de reuniões, relatórios e comunicados é considerado: 

  • por 53% dos respondentes como adequado;
  • por 33% como pouco adequado;
  • e por 7% como inadequado.
  • 7% não responderam.

11.  Sobre o alinhamento das competências aos objetivos estratégicos:

  •  93% alinham as competências essenciais aos objetivos estratégicos;
  • 7% das empresa não adotam essa prática.

12.  Quanto ao alinhamento do treinamento aos objetivos estratégicos:

  •  87% oferecem programas de treinamento e capacitação de forma alinhada às estratégias do negócio;
  • 13% dos respondentes percebem que esse processo encontra-se desalinhado do negócio.

13.  Sobre a análise de mercado:

  •  33% dos respondentes afirmam que o processo é forte e consolidado;
  • 33% dos respondentes descrevem o processo como pontual;
  • 13% consideram o processo incipiente;
  • 7% afirmam não existir prática definida para proceder a análise estratégica;
  • 14% das empresas que não responderam.

14.  Sobre a prática de estabelecimento de parcerias:

  •  33% avaliam suas parcerias e alianças como fortes e consolidadas;
  • 53% dos respondentes afirmam que as parcerias e alianças são pontuais;
  • 7% responderam que as alianças são incipientes
  • 7% não responderam

15.  Sobre ter um posicionamento estratégico (diferenciação, custo ou enfoque):

  •  80% consideram ter um posicionamento claro e bem definido;
  • 20% não compreendem este posicionamento de forma clara

16.  Para a introdução de produtos e serviços no mercado:

  •  87% das empresas fazem análise de mercado;
  • 60% das empresas avaliam a capacidade de produção disponível;
  • 47% respondem a negociação com os clientes.
  • Para esta questão, foram tablados os resultados mais significativos, não buscando o total de 100%

17.  Em relação ao entendimento sobre os fatores críticos de sucesso:

  •  Para 67% os pontos críticos definem o sucesso ou o fracasso de um objetivo definido no planejamento pela gestão;
  • Já 33% dos respondentes afirmam não haver entendimento claro sobre o assunto.

18.  Sobre implantação de estratégias:

  •  Entre 66% e 77% das ações planejadas para alcance dos objetivos e metas são executadas;
  • 40% dos respondentes não souberam responder o percentual de execução das ações planejadas.

19.  Sobre registro das ações executadas:

  •  Há registros (documentação) dos resultados do planejamento estratégico em 80% das empresas;
  • apenas 20% não realizam esses registros.

20.  Os indicadores de desempenho são considerados:

  •  “muito bons” por 13% dos respondentes;
  • “bons” por 54% dos respondentes;
  • “medianos” por 26%;
  • “ruins” por 7%

21.  As ferramentas e técnicas analíticas utilizadas para medir o desempenho nas empresas são consideradas:

  •  “muito boas” para 14% dos respondentes;
  • “boas” para 54%;
  • “medianas” para 20%;
  • “ruins” para 12%.

22.  Os resultados obtidos pela empresa são considerados:

  • por 59% como bons ou muito bons;
  • por 27% como medianos;
  • e por 14% como ruins.

 

Nesta pesquisa

Foi feita a opção pelas empresas de grande porte, em virtude de serem estas, usualmente, as primeiras a adotarem conceitos, princípios e técnicas de gestão. Oportunamente estaremos conduzindo pesquisa semelhante junto às empresas de médio e pequeno porte.

Dedicatória

Dedico o artigo de hoje a Susie Alves Macedo, uma profissional incansável na busca de conduzir uma pesquisa de forma isenta, criteriosa, e, acima de tudo profunda!

Artigo completo

O texto aqui publicado foi extraído do artigo “Planejamento e Gestão Estratégica: um estudo sobre adoção e práticas em indústrias do Rio Grande do Norte”, que resultou de pesquisa conduzida por Susie Macedo, enquanto aluna do Mestrado Profissional em Administração da Universidade Potiguar (UnP). O artigo completo referente à pesquisa foi publicado na Revista Sistemas & Gestão, e pode ser acessado através do link: De Macêdo

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s