Demita quem disser “já fiz a minha parte”!

Sua equipe vai além de fazer apenas e tão somente suas responsabilidades? Ou você tem um grupo de pessoas que são extremamente comprometidos em, cada um, fazer a sua parte? Caso seja assim, você está satisfeito com esta postura? E sua organização, vai um pouco além, ou faz apenas o que lhe pedem? E, às vezes, nem isto?

EU já fim a minha parte!

Esta é a reflexão que trago hoje.

Por vezes escuto gerentes, diretores e proprietários de grandes, médias e pequenas organizações e empresas reclamando de que seu pessoal:

  • não faz o que se espera de cada um, ou
  • não cumpre suas responsabilidades, por melhor que estas estejam claramente definidas, ou
  • faz apenas o que está definido, não indo um mínimo além disto, parecendo pessoas altamente limitada

Em qual situação você classifica sua equipe? E sua organização, consequentemente?

Alguns optarão pela alternativa 1. Outros escolherão a segunda. Um terceiro grupo reconhecerá, com tristeza, que sua equipe, de modo geral, se enquadra na opção 3.

A primeira alternativa decorre da ausência de definição clara de processos e atribuições, fazendo com que as pessoas tenham que descobrir, às vezes por si próprias, o que se espera delas.

Na segunda opção, por mais que as responsabilidades estejam definidas, as pessoas não fazem o que se espera por que não existe um bom processo de treinamento de pessoal, bem como um bom sistema de acompanhamento de desempenho e reconhecimento.

A terceira alternativa decorre de falhas na seleção de pessoas, bem como o exercício de uma liderança que promova o engajamento de pessoas comprometidas com a realização de bons e eficientes processos de manufatura ou serviços.

O golpe de misericórdia de tudo isto é quando as pessoas, para justificarem o que fazem mal feito, ou o que não fazem, se escoram em expressões do tipo “já fiz a minha parte”.

Que, faz uso deste tipo de expressão, com frequência, está apenas se esquivando de contribuir um pouco mais em benefício do ganho coletivo.

  • “Já fiz a minha parte” é um disfarce para quem acha que fazer o mínimo é o máximo;
  • “Já fiz a minha parte” é uma desculpa para quem não quer se comprometer com os restados da organização ou empresa;
  • “Já fiz a minha parte” é um argumento para quem está mais preocupado consigo mesmo do que com a equipe com quem trabalha;
  • “Já fiz a minha parte” é um álibi para quem não tem a menor intenção e ajudar colegas, clientes e amigos;
  • “Já fiz a minha parte” é uma expressão que esconde a responsabilidade de alguém que poderia ser mais útil, mas parece preferir ser fútil;

Assim, sugiro que você, gestor, tome muito cuidado com pessoas de sua equipe que fazem uso da expressão “já fiz a minha parte”, pois elas podem estar passando mensagens a você, que não condizem, absolutamente, com pessoas responsáveis, interessadas, comprometidas, com desejo de ajudar, que tem iniciativa, interesse no bem comum.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s