Servir: um gesto de amor!

Existe alguma relação entre servir e amar? Qual a relação entre pessoas servidoras e o amor? É possível alguém que não ama ser uma pessoa servidora? Existe alguém que não ama?

Amar e servir!
Amar e servir!

Tenho participado de debates sobre o que torna uma pessoa servidora.

Existem aqueles que pensam que o ser humano é, na sua essência, mau. Outros defendem que a natureza humana é de bondade, com algumas exceções.

Alguns especialistas em comportamento humano defendem que, sendo o homem mau, correções de pensamento e comportamento ocorrem à medida em que as crianças vão sendo são educadas pelos mais velhos. Outros defendem que o homem nasce bom, e à medida em que vai encontrando tanta maldade pelo mundo, acaba se ajustando a isto, podendo tornar-se, muitas vezes, mau.

Participando de projetos sobre comportamento servidor, percebo que em muitas situações, encontramos pessoas adeptas do servir. São pessoas que, de imediato, se identificam com o senso de servir, e contribuem fortemente, seja através de exemplos individuais próprios, ou de citações de exemplos individuais ou coletivos de outros. Os olhos brilham!

Por outro lado, encontramos algumas pessoas que parecem estar ouvindo algo estranho, e por que não dizer, utópico. Percebe-se uma apatia e até mesmo uma sensação de incredulidade, frieza e distanciamento. Os olhos ficam obscuros.

Como você se sente ao falar, ler ou ouvir falar sobre servir? Acha estranho, utópico, algo distante! Ou você logo se identifica com o tema, se insere na discussão, participa e contribui?

Algum tempo atrás, ouvi alguém afirmar que, “para servir, é necessário que haja amor”. Fiquei pensativo sobre a colocação. E tenho refletido muito sobre o assunto.

Sem ser um profundo conhecedor, ou mesmo especialista no assunto, seja através da psicologia, antropologia, sociologia, religião, medicina, ou qualquer outra área do conhecimento humano que trate do tema amor, atrevo-me a escrever algumas linhas sobre o tema, e sua relação com o servir – este sim, um tema em que tenho pesquisado.

Se para executar um trabalho com afinco e esmero é necessário amor e paixão pelo que se faz, parece ser necessário ter amor para servir, pois servir é agir com responsabilidade e dedicação a uma causa, um projeto, ou a alguém. Quem ama a vida não age de modo irresponsável!

Já que servir é ser útil, afinal, quando algo não tem mais utilidade, dizemos que aquilo não serve mais, parece ser necessário ter amor para servir, pois aqueles que amam fazem tudo o que podem para fazer algo com amor e por amor, de modo a serem úteis para os outros. Quem ama não descarta!

Já que amor está ligado a bondade, parece ser necessário ter amor para servir, afinal uma das expressões do servir vem de agir com bondade, fazendo o bem. De modo geral, não costumamos ouvir falar de alguém que, por amor, provoque o mal àquele a quem ama. E se, por amor a alguém ou algo, faz mal a outro, faltou amor a este, ou, pelo menos amor à vida. Quem ama, adora a vida, sua e dos outros, e costuma viver feliz!

Quem ama, faz de tudo pelo outro, renunciando, muitas vezes, a vontades e necessidades suas, em prol daquele. Tenho dito que, se não nascemos com o dom de renunciar, aprendemos, quando nos tornamos pai ou mãe. Como servir é, muito mais, dar que receber, parece ter sentido dizer que amar é fundamental para servir. Quem ama dá sem exigir em nada em troca!

Se servir é agir com iniciativa, aqueles que amam são verdadeiros servidores, pois, seja em pequenos gestos, atitudes ou mesmo lembranças materiais, não deixam de pensar ou fazer algo pelo outro. Estão sempre lembrando, ligando, levando algo, levantando ou alegrando a vida do outro. Quem ama não espera pedido!

Se a simplicidade é uma característica daqueles que servem, parece ser necessário ter amor para servir, pois os que amam são simples, agem com humildade, não tem arrogância nem petulância ao demonstrarem seu sentimento e fazerem o bem. Quem ama não é arrogante!

Se servir é ajudar e cuidar de tudo ao seu redor, parece ser necessário ter amor para servir, pois aqueles que amam tem o forte hábito de cuidar de tudo ao seu redor, seja pessoa, animais, objetos, construções, equipamentos, sentimentos, amizades, detalhes pequenos do dia a dia. Quem ama cuida, não descuida!

Por tudo o dito acima, intitulei este artigo como servir: um gesto de amor, e concluo agradecendo ao Grupo Vila pela espontaneidade e criatividade da citação.

2 comentários sobre “Servir: um gesto de amor!

  1. Kleber, parece que o espírito servidor se aproxima do amor quando há mais autoconsciência do propósito de vida daquele que serve. Quanto mais flexível é o ego de quem serve, mais servidor este ego se torna, dando passagem a própria essência, que se relaciona intimamente com o serviço.
    Aprecio muito uma definição de amor que li há algum tempo: “amor é esclarecimento máximo”.
    Deixo um link, que pode complementar suas pesquisas.

    http://super.abril.com.br/cultura/ciencia-ser-voce-622469.shtml?utm_source=redesabril_jovem&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_super

    Parabéns pelo texto.
    Serenidade e sucesso

    Elisete Pagano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s