A diferença entre objetivo e meta – Parte 1

Você sabe a diferença entre meta e objetivo? Qual a importância de saber isto? Por que estes dois termos são tantas vezes confundidos? Como se integram os objetivos, metas e indicadores? O que tudo isto tem a ver com gestão?

Objetivos e metas andam juntos

Uma das definições de que mais gosto, pela sua simplicidade e objetividade é atribuída a Peter Drucker, sobre gestão é: “gestão é alcançar resultados através de, e com pessoas”.

Embora este conceito seja antigo, e muito citado, infelizmente nem sempre é compreendido e, consequentemente, aplicado. Uma das principais e mais frequentes confusões conceituais que se faz é confundir OBJETIVO e META.

Quando indago sobre a diferença entre os dois termos, em palestras, seminários, reuniões e debates, escuto respostas como:

  • “Objetivo é o que eu quero alcançar, e a meta tem a ver com onde vou chegar”;
  • “Objetivo é mais estratégico, e meta é mais operacional”;
  • “Objetivo é abrangente, e meta é mais específico”.

E outras respostas são dadas, parcialmente corretas, insuficientes para esclarecer de forma precisa e efetiva os dois termos, permitindo a obtenção de melhores resultados nas organizações.

Costumo ressaltar que a diferença é simples, e não precisamos ficar fazendo uso de palavreado difícil, que dificulta a compreensão.

Tanto OBJETIVO quanto META são alvos, ou seja, ponto onde se quer chegar.

Ambos se relacionam com onde se quer chegar, podem ser abrangentes ou específicos, estratégicos ou operacionais. Eu posso querer aumentar as vendas, viajar para um destino, ou perder peso.

A essência da diferença está em que o OBJETIVO é um alvo qualitativo, enquanto a META é um alvo quantitativo. Em outras palavras, a META é a quantificação de um OBJETIVO. Assim….

  • aumentar vendas é um OBJETIVO. Uma META poderia ser aumentar as vendas em 10%;
  • perder peso é um OBJETIVO. Uma META pode ser perder 10 Kg;

Porém, uma META, para ficar completa, precisa de uma referencia temporal. Se eu apenas focar em perder 10Kg, corro o risco de passar a vida inteira correndo atrás da meta, e não alcançá-la.

Está gostando desse artigo? Então clique aqui para acessar outros materiais

A referência temporal é um nome complicado para uma coisa simples: PRAZO!

Se eu definir um PRAZO em que eu pretendo perder 10Kg, vou possibilitar que se faça gerenciamento, isto é, o comparativo. Por exemplo, se eu definir o prazo de 6 meses, e, findo este período, não tiver perdido, os 10Kg, o resultado não terá sido alcançado.

Somente o número desejado, associado a um prazo, torna uma META completa.

E qual o papel de indicador nesta história?

O indicador será o índice utilizado para indicar o número que vai compor a meta.

Então vejamos um exemplo completo:

  • OBJETIVO: quero ficar rico;
  • INDICADOR: total de capital investido em ações (ou poupança);
  • PRAZO: 10 anos à frente (2022)
  • META: ter R$ 1.000.000,00 aplicado em ações

Assim, toda vez que você ouvir alguém dizer que a meta é satisfazer o cliente, corrija! Isto é apenas um mero objetivo.

Gostou do artigo? Então clique aqui para acessar outros materiais

Veja mais  sobre esse tema em A diferença entre meta e objetivo – Parte 2

 

Dedicatória,

Dedico o artigo de hoje a Victor Simas, alguém que sabe trabalhar com metas! Alguém que trata as metas com muita seriedade e responsabilidade, inteligência e competência!

Sobre Objetivos e Estratégia

Veja também artigo sobre objetivos e estratégia em

A diferença entre objetivos e estratégia

Se desejar realizar um curso sobre o assunto, acesse o site e conheça o curso sobre Sistemas de Medição de Desempenho, com sua equipe, envie email para contato@perceptum.com.br, e teremos imenso prazer em lhe atender