Parabéns VEJA: jornalismo servidor!

Por que as capas e manchetes de jornais e revistas tendem a enfatizar o mal? Quantas vezes ressaltamos pessoas como o Ministro Joaquim Barbosa? A corrupção no Brasil vai acabar? O jornalismo, para se fazer reconhecido, deve priorizar o mal?

Capa da Revista Veja (10/10/2012)

As questões que coloco na reflexão inicial foram motivadas pela capa da revista Veja , edição de 10/10/2012, que traz a foto do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa.

Logo que vi a capa da revista, lembrei-me de uma edição anterior, que estampava a imagem de um dos maiores traficantes brasileiros, Fernandinho Beira-mar. E me veio a questão: por que não existem mais capas de revistas e manchetes de jornal com pessoas como o Ministro?

Sabemos que uma manchete vai ter muito mais chance de chamar atenção se estampar um fato inusitado, chamativo, até mesmo apelativo, do que divulgar coisas do cotidiano. Se é para divulgar a viagem de um Presidente, parece que tem mais valor ressaltar uma eventual gafe do que a viagem em si, a despeito de todos os benefícios que traga.

Será que somos tão maus assim, que preferimos o mal ao bem?

Há quem diga que a natureza humana é essencialmente má. Se assim fosse, teríamos muito mais gente nos presídios, e uns poucos bandidos e assassinos soltos. Se estes são excluídos do convívio social, é porque não apresentam comportamento digno de usufruírem de sua liberdade.

Se é assim, por que ressaltá-los, e sua índole má?

Num momento ímpar da vida política brasileira, quase inacreditável, em que os Ministro do Supremo dão uma aula de justiça, permitindo que as pessoas de bem possam acreditar na redução da impunidade, um dos grandes cânceres deste nosso país, a iniciativa da Revista Veja é louvável, e merecedora dos maiores e efusivos aplausos.

Não creio, por enquanto, no fim da corrupção, mas parece que estamos dando um grande e significativo passo para sua redução.

Acredito, assim, piamente, que os veículos de comunicação não precisam esconder as notícias ruins – infelizmente precisamos saber onde ocorrem assaltos, crimes, mesmo para nos prevenirmos e estarmos um pouco menos inseguros – mas as notícias ruins podem ser dadas apenas nas páginas internas.

Caso contrário, estamos ajudando a tronar famosos aqueles que não deveriam ser merecedores dos mínimos elogios!

 Como servir é, essencialmente, fazer o bem, bem que poderíamos ter um jornalismo mais servidor, e mais divulgador das coisas e fatos bons da vida!

2 comentários sobre “Parabéns VEJA: jornalismo servidor!

  1. Eis aí uma missão, arrisco dizer, impossível, Kleber. Sua aspiração é merecedora de louros, mas infelizmente o jornalismo está sentenciado a divulgar escândalos, tragédias e mexericos para gerar certa audiência, atingir o maior número de pessoas. O Ministro que estampa a capa da revista supracitada é mais uma da série “a bola da vez”, que logo rolará, dando lugar para más notícias. Neste caso, acredito que a demanda gera a oferta, temos o que merecemos, o que é da nossa natureza. Porém, também quero acreditar que tudo isso um dia vai mudar!

    1. Ok Heitor. Mas não precisa colocar foto de bandido na capa da revista. Você sabe por que o “Maníaco do Parque” fez o que fez? Ele queria sair na capa da Veja – palavras dele. Conseguiu! Assim, enquanto dermos espaço a este tipo de conduta, estaremos alimentando mais e mais este comportamento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s